Consumo Cultural em Novos Regimes de Distinção Simbólica

A forma primordial de consumo na economia criativa é a cultural, em particular diante da identificação de uma nova classe de serviços que combina os capitais cultural e econômico e da transformação do consumo material em cultural com a estetização da vida cotidiana, como sinaliza Pierre Bourdieu. O consumidor se torna um agente na geração de valor econômico a partir da construção da identidade individual no lazer, no entretenimento, nos novos regimes de distinção simbólica e na preocupação com a saúde e a forma física.

A marca envolve a experiência que será passada ao cliente para transmitir seus valores e a percepção, englobando os sentidos para trabalhar a identificação de uma empresa e seus produtos ou serviços. A percepção do cliente contribui para a identificação da empresa e, assim, a preferência na decisão de compra. Por isso, a comunicação – em especial cada vez mais aquela feita nas mídias digitais – tem que corresponder à qualidade esperada e à realidade do negócio.

 

 

Pesquisa Atrelada ao Eixo de Atuação:

 

 

Observatório ESPM de Jovens e Marcas

Coordenação: Prof. Dr. Daniel Kamlot e Profa. Dra. Veranise Jacubowski Correia Dubeux

Tendo em vista conceitos inerentes à Economia Criativa e a relevância das marcas na atualidade, o presente projeto avalia as percepções de jovens quanto a marcas em geral, em termos de influências, reações e condutas. Em detalhes, o projeto foca sua análise em alguns tópicos, expostos a seguir: (I) por quais motivos os jovens se mostram influenciados quanto à afeição demonstrada em relação a marcas; (II) qual a percepção do uso de estrangeirismos na divulgação de marcas de produtos e serviços no Brasil; (III) qual a relevância das marcas nas escolhas dos jovens brasileiro em determinados mercados. Além disso, é realizada uma avaliação histórica da evolução do apreço dos jovens por determinadas marcas antes e durante (após) a crise econômica brasileira, iniciadas em meados de 2014. A proposta aqui apresentada visa à obtenção de dados que possam ser trabalhados quantitativamente e qualitativamente, a fim de gerar insumos para novas pesquisas sobre o tema e à colaboração com planejamentos futuros que envolvam a percepção e reação dos consumidores jovens a eventuais alterações referentes a marcas que hoje atraem a atenção desse segmento de mercado.

Status: Concluída.

 

 

Gênero e Sexualidades na Economia Criativa

Coordenação: Prof. Dr. Diego Santos Vieira de Jesus

O objetivo é examinar como as questões relacionadas a gênero e sexualidades desenvolvem-se nos processos de produção, distribuição e consumo de bens e serviços na Economia Criativa. A pesquisa busca examinar como o gênero e as sexualidades permeiam os processos de gestão das indústrias criativas e a cultura de mercado. Pretende-se investigar, na produção, as formas como as questões de gênero e sexualidades atravessam o processo criativo e a geração de conteúdos e, na distribuição, o acesso a esses conteúdos. Investiga-se também como questões relacionadas a gênero e sexualidades influenciam o processo de construção das identidades dos consumidores, levando-se em conta uma era de consumo cultural em novos regimes de distinção simbólica.

Status: Em andamento.