Valorização das Tradições e da Cultura Popular

Os bens culturais populares relacionam-se às práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e lugares, como mercados, feiras e santuários que abrigam práticas culturais coletivas. Tais bens são transmitidos de geração a geração e podem ser recriados pelas comunidades e grupos em função do ambiente, interação com a natureza e história, além de estimularem sentimento de identidade e continuidade e contribuírem para a promoção do respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.

 

 

Pesquisas Atreladas ao Eixo de Atuação:

 

 

Economia Criativa e Culturas Populares Marginalizadas

Coordenação: Profa. Dra. Veranise Jacubowski Correia Dubeux

Integrantes: Prof. Dr. Diego Santos Vieira de Jesus e Prof. Dr. Daniel Kamlot

O objetivo desta pesquisa é examinar como as culturas populares marginalizadas contribuem para o desenvolvimento da economia criativa no Brasil. O argumento central aponta que a valorização dos saberes, ofícios, modos de fazer, expressões artísticas e locais que abarcam práticas culturais coletivas de grupos socialmente marginalizados permite a geração de renda e de emprego e a inclusão social, além de funcionar como meio de resistência às tentativas de assimilação, eliminação e subjugo das tradições de oprimidos e excluídos por grupos dominantes político-econômicos e socioculturais. A aplicabilidade da pesquisa está na valorização da memória – a qual estimula o sentimento de identidade e cria bases para o respeito à diversidade cultural – e na geração de projetos que visem a combater e mitigar as desigualdades regionais e locais em termos da produção, da distribuição e do consumo de bens e serviços criativos no território nacional.

Status: Em andamento.

 

O camelódromo: O centro de muitos centros da cidade

Coordenação: Prof. Rafael Moraes do Nascimento

O projeto visa entender como a cidade se relaciona com o camelódromo e de que forma o mesmo representa a cidade. Além de ser um ponto turístico do Rio de Janeiro, ele pode ser entendido como centro popular de consumo. Serviços e produtos são oferecidos em diversos boxes em um comércio paralelo ao mercado formal. O estudo vai identificar essa relação de consumo, bem como entender a importância do camelódromo como fomentador de compras. Por fim, pretende-se investigar a disseminação e tendências criadas por mídias digitais e físicas nessa porção de espaço urbano.

Status: Em andamento.