Os desafios da mobilidade urbana

Por Veranise Dubeux*

 

Nos últimos anos, o debate sobre a mobilidade urbana vem se acirrando cada vez mais em diversos países, e isso não poderia ser diferente no Brasil. A maioria dos grandes centros urbanos em nosso país vem encontrando dificuldades em desenvolver meios para diminuir a quantidade de congestionamentos em áreas centrais .

Independentemente das suas tecnologias e das emissões de seus motores, os carros estão ocupando o espaço de transporte disponível nas ruas das cidades, e as vias congestionadas estão a impedir – em vez de promover – a mobilidade das pessoas. Muitas autoridades estão tributando ou restringindo a utilização do automóvel particular em algumas áreas urbanas, em especial nas cidades criativas.

Entre as formas alternativas de mobilidade urbana, a substituição do transporte privado pelo público está no centro deste debate. No entanto, mesmo em países economicamente desenvolvidos e com bons sistemas de transporte público, eficientes e confortáveis, parte importante dos usuários apontou preferência por carros privados.

No Brasil, os problemas de mobilidade urbana estão diretamente relacionados ao aumento do uso de transportes individuais em detrimento da utilização dos coletivos, embora esses últimos também encontrem dificuldades com a superlotação.

Nos últimos anos, o aumento do número de veículos automotores no Brasil foi dez vezes maior do que o da sua população. Enquanto a população cresceu em 12,2% numa década, o aumento do número de veículos motorizados foi de 138,6%, de acordo com o Observatório das Metrópoles.

Uma saída poderia ser a ampliação de debates sobre a regulamentação de ações públicas para mobilidade urbana, com ênfase na melhoria da qualidade e da eficiência dos deslocamentos por parte das populações e também na investigação do estilo de vida dos brasileiros em vários centros urbanos, para que fosse possível mapear quais são as motivações para a utilização de veículos particulares.

 

* Pesquisadora do Laboratório de Cidades Criativas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.